LEIA TAMBÉM

Como Rafinha pode ser útil ao Cruzeiro

Rafinha foi anunciado como reforço do Cruzeiro. A equipe mineira será a décima primeira que o meia defenderá na carreira. Formado nas categorias de base da Portuguesa, Rafinha teve grande destaque no Coritiba entre 2010 e 2013, conquistando a Série B, o tetracampeonato estadual e sendo duas vezes vice-campeão da Copa do Brasil.

No Coritiba em 2011 e 2012, Rafinha atuava normalmente como meia em diversas plataformas táticas utilizadas pelo treinador Marcelo Oliveira (4-2-2-2, 4-2-3-1, 4-5-1) Era um jogador que se colocava à frente dos volantes, tanto pelo centro quanto pelos lados e dessa forma realizava com efetividade a ligação com o ataque.

Normalmente aparecendo no corredor entre o centro e o lado, Rafinha fornecia diversas opções ao treinador. Em fase ofensiva, por vezes, compunha a última linha por um dos lados do campo. Em fase defensiva, era um dos 05 integrantes da segunda linha.

Dotado de boa velocidade e drible razoável, geralmente cortando para o centro quando atuava pelo lado esquerdo, Rafinha costumava fornecer boa transição ofensiva e participar da construção de jogo, mesmo cometendo erros naturais de execução, principalmente em tentativas de passes em profundidade. Atuando pela direita, Rafinha era mais vertical e procurava menos o centro, tornando-se uma peça importante de desafogo e nos momentos finais da fase ofensiva.

Em algumas situações dentro da partida, Rafinha alternava de posição com Marcos Aurélio em 2011, ocupando a posição central. Em outras oportunidades, dentro do sistema 4-2-3-1, atuava em posição inicial rente à linha lateral pela direita. Entretanto, circulava por toda a linha e alternava de posição com o meia central e o extrema do lado oposto. Rafinha dava inúmeras opções de variações dentro da partida. No Coritiba, era um jogador extremamente móbil, com boa circulação e que contribuía de forma excelente nas transições e na construção das jogadas ofensivas.

Em 2012, atuou majoritariamente como extrema pela direita no sistema 4-2-3-1. Por vezes, formava uma linha com Lincoln no centro e Everton Ribeiro pela esquerda. A alternância de posição continuava constante, principalmente com Everton Ribeiro e até com Everton Costa e Roberto, quando estes atuavam. Três jogadores de estilos diferentes mas com bom raciocínio e capacidade de movimentação. Rafinha demonstrava muita agilidade para sair das abordagens agressivas dos marcadores e principalmente para dar rapidez aos movimentos ofensivos.

Na Arábia Saudita desde 2013, Rafinha atuou em apenas 95 partidas. Em um futebol com calendário menos cheio, o novo reforço do Cruzeiro não vem com a mesma carga de jogos e de trabalho do que os que atuam em mercados mais conhecidos.

Apesar disso, Rafinha continua mantendo as mesmas características que o tornou um jogador interessante. No Al Shabab, em 2015, Rafinha atuou com mais liberdade. Era o meia central do time em um sistema inicial 4-2-3-1 e do meio se movimentava muito por todos as regiões do último terço. Por vezes, atuou também como extrema pela direita, porém com menos liberdade de movimentação.

Em 2016, vem atuando como extrema esquerda, assim como atuava na sua chegada em 2013/2014, se movimentando muito entre o centro e o lado. Por ser destro, Rafinha, atuando pela esquerda, procura mais o centro e realiza mais funções de circulação e organização do que funções verticais de quebra de linhas.

Sem título

Mapa de Atuação Al Shabab ———>

Em posição inicial pela esquerda, Rafinha consegue realmente aproveitar suas características. É um jogador que possui verticalidade mas que também tem capacidade organizacional e já não possui a velocidade de outrora. No lado esquerdo, centralizando o movimento, procurando a construção das jogadas ofensivas e a aproximação com os atacantes, Rafinha é um jogador mais participativo e preponderante, conseguindo minimizar o declínio natural que a idade fez com sua velocidade.

Sem título

Fonte: Instatscout

Em uma equipe com boas opções, principalmente após as chegadas de Sóbis e Ábila, Rafinha pode agregar. É um jogador diferente dos demais que estão no Cruzeiro. Versátil, porém menos do que outrora, Rafinha pode se encaixar bem como opção em um Cruzeiro que deveria buscar a circulação de bola nos momentos intermediários da fase ofensiva e a verticalidade nos momentos finais.

Autor: Giovani Dalla Valle

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: